Notícias

Seis estados brasileiros são reconhecidos como zonas livres de febre aftosa sem vacinação

Seis estados brasileiros são reconhecidos como zonas livres de febre aftosa sem vacinação

A Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) reconheceu seis estados brasileiros como zonas livres de febre aftosa sem vacinação. São eles: Paraná, Rio Grande do Sul, Acre, Rondônia e partes do Amazonas e do Mato Grosso. O Paraná também recebeu o reconhecimento como zona livre de peste suína clássica independente.

Para realizar a transição de status sanitário, os estados e regiões atenderam requisitos básicos, como aprimoramento dos serviços veterinários oficiais e implantação de programa estruturado para manter a condição de livre da doença, entre outros, alinhados com as diretrizes do Código Terrestre da OIE.

O reconhecimento trará mais economia para os produtores rurais. São mais de 40 milhões de cabeças que deixam de ser vacinadas, o que corresponde a cerca de 20% do rebanho bovino brasileiro, e 60 milhões de doses anuais da vacina que deixam de ser utilizadas, gerando uma economia de aproximadamente R$ 90 milhões ao produtor rural.

O processo de transição de zonas livres de febre aftosa com vacinação para livre sem vacinação está previsto no Plano Estratégico do Programa Nacional de Vigilância para a Febre Aftosa (PE PNEFA), conforme estabelecido pelo Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (Suasa). A meta para que o Brasil se torne totalmente livre de febre aftosa sem vacinação é até 2026.